“Estado Imediato” é o mais novo espetáculo do Grupo Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira, resultado do projeto patrocinado pela Petrobras desde 2013. O grupo dá continuidade a seu processo de pesquisa e criação, investigando as relações entre público e artista, buscando estratégias para apresentar sua pesquisa ao público – “Estado Imediato” é um resumo de 50 minutos de mais de um ano de investigação.

Através da poética da dança contemporânea, o grupo buscou criar maneiras de aproximação entre o artista e o público, para alimentar seu interesse pela dança contemporânea, contribuir para a construção de uma linguagem de dança brasileira e colaborar para a formação de público.

O corpo quer ficar no chão. Sem música. Sem movimento. Sem nada. Mas os artistas da dança sempre precisam se levantar e, mesmo em uma crise, continuar a se mover. É preciso fazer algo acontecer, inventar uma maneira de continuar, mobilizar a vontade de dançar.

O grupo foi despertando sua vontade de dançar e buscando um “estado imediato”, como se fosse o seu último instante de vida. Referências como John Travolta, Tchaikovsky, Dominguinhos, Gilberto Gil, Tina Charles, Bee Gees, Paul Simon e Art Garfunkel, os Beatles e os ritmos dos Orixás ajudaram a despertar esses “estados imediatos” nos corpos dos bailarinos.

O maior desafio foi ajustar essas escolhas com as questões da dança contemporânea.

O grupo quer discutir sobre a conduta de um criador de dança contemporânea. O público vai observar as “retiradas”, muitas vezes grosseiras, de determinadas “coreografias”, e poderá se perguntar: “Por que a retirada deste bailarino, desta coreografia ou desta música, que desaparece e deixa o som do silêncio?”. É nesse lugar que se aloja a discussão proposta por este trabalho.

Mergulhar na relação entre o público e o artista, entre o desejo do artista e as “regras” da dança contemporânea. Se a dança contemporânea tem como foco processos de reflexão para pensar o corpo, o Grupo Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira propõe, através deste espetáculo, uma conversa a ser feita entre palco, plateia e pesquisadores da dança contemporânea sobre as “regras” da dança contemporânea. Quais são elas? Como foram sendo elaboradas? Com qual objetivo? Principalmente: Como se estabelece a relação entre o público e o artista, e como isso se configura na relação com as políticas públicas existentes hoje no Brasil?

017_EstadoImediato_BienalSescDeDan+ºa 013_EstadoImediato_BienalSescDeDan+ºa 012_EstadoImediato_BienalSescDeDan+ºa 011_EstadoImediato_BienalSescDeDan+ºa 010_EstadoImediato_BienalSescDeDan+ºa 006_EstadoImediato_BienalSescDeDan+ºa 001_EstadoImediato_BienalSescDeDan+ºa EstadoImediato_Ana

F ICHA TÉCNICA:

Direção artística, coreografia e pesquisa: Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira

Direção técnica e iluminação: Juliana Augusta Vieira

Figurinos: Ana Catarina Vieira

Trilha sonora: Ângelo Madureira

Músicas: Quebra Prato - É de Angola, Trio in E-flat major, opus 100 #2 - The Hunger: The Year Of The Living Dangerously, I love to love - Tina Charles, Attack/transition-  Alva Noto + Ryuichi Sakamoto, Occur e Occur 1 - Taylor Deupree, I’ve Never Been In Love Before - Chet Baker YMCA, Village People Stayin’ Alive - Bee Gees, Saturday  Night Fever - Bee Gees, Lamento Sertanejo - Dominguinhos e Gilberto Gil, Swan Lake – op. 20, Act 1: No. 5 , Pas de deux. II. Andante – Allegro, Tchaikovsky, The Sound Of Silence - Simon e Garfunkel, Yesterday - The Beatles.

Elenco colaboradorVanessa Silva, Rafi Sousa, Ana Catarina Vieira, Leandro Soares, Beto Madureira e Ângelo Madureira.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>